segunda-feira, março 26, 2007

assovio...

o poema abaixo eu roubei do blog da minha queridíssima amiga Rera Tavares (www.assovio.blogspot.com). é que eu achei tão bonito que fiquei com vontade de divulgar. não fica bravo comigo não rera, tá? beijones...

___________________________________

a fragilidade absoluta das coisas.
eu, coisa, a fragilidade absoluta de mim.

exclamo interrogações

é preciso ser vertical, como os prédios,
então treino: o pé direito à frente, depois o esquerdo
e assim sucessivamente

vontade de abraçar o mar
até virar água

mas nasci bicho da terra
assim como os elefantes, os macacos e
os bois

sábios os elefantes, macacos e bois
que se amam e respiram e seguem
sem elocubração
profetas
issos
aquilos

já eu, humana
não me basto:
cogito sonhos
penso
nuvens

quero nadadeiras
e asas

invento nadadeiras e asas
que se lêem –
leia-se, escrevo:

é preciso ser vertical
ao que eu me curvo
ao que eu protesto

edificando poemas

Um comentário:

Rera Tavares disse...

obrigada, Rozão!!
que brava o quê, fico é muito feliz!
beijocas comovidas.