sexta-feira, dezembro 15, 2006

sobre a pulga atrás orelha

coincidências não existem.
ao menos tenho refletido muito sobre isso, sobre diversas coisas que acontecem em minha vida. cheguei a esta conclusão nos últimos tempos. mas ela pode mudar.
acontece que realmente estou com uma pulga atrás da orelha, já faz alguns dias, sobre o fato de não conseguir criticar, avaliar, tecer comentários além de "gostei muito, parabéns, du caralho!" entre outros sobre obras, textos, que amigos e pessoas que gosto muito fazem e esperam a minha opinião. ontem, no blog do marcelino, vi a crítica de Pedro Borges e achei muito boa: respeitosa, sincera, ácida. conversando com Marcelino, desabafei sobre a minha dificuldade em analisar, criticar.
hoje, cheguei a mais uma conclusão volúvel: não estou sendo sincero! com meus amigos, suas obras e seus textos.
não estou sendo sinceros com os amigos porque sim, vejo coisas que considero mal feitas, mal trabalhadas, mas, resignado, guardo as minhas impressões para mim. com medo de não magoar, não ofender e, também por pensar: quem sou eu para julgar qualquer trabalho?
contudo, me pego pensando: sim, são com as críticas, com os maus comentários, as alfinetadas que eu cresço. Tânia, minha namorada, me dá muitas, e me faz pensar muito. e isso é bom. faz eu parar e refletir.
por que eu não faço isso?
e acho que não estou sendo sincero com as obras porque, talvez, não esteja tomando contato com o devido respeito e cuidado. não saber o que dizer de um livro após acabar de lê-lo, entendo que é normal. eu preciso digerir. mas, e quando passa a digestão. nada? então, você não degustou. engoliu vento, nem tempestade. e se não há nada para ser dito, é que talvez, nada tenha sido lido. e pronto!
prometo tomar mais cuidado com isso.

mas, de bate pronto aviso: serei sincero! com as obras e com os amigos. portanto, pense bem se quer saber o que penso, pois eu digo: não vou me preocupar se vou magoar ou ofender não. perguntou? responderei.
serei educado, sim, mas sobretudo sincero.
a começar comigo mesmo.
e fim!

3 comentários:

Robson Canto disse...

Depende do que tu tá pensando! rssss
Acho que é sim! rsssss
Mas eu preciso de uma forcinha porque não majo nada, sobre esse negócio!

Fernando disse...

Rodrigo,

Esses dias, te pedi uma opinião sobre um artigo e a resposta foi: "muito bom". Então, lendo o blog, entendi que o "muito bom" é: "está uma merda", "péssimo", "joga fora".
Teu comentário vem com efeito colateral! Hehehe

Seguinte: Parabéns pelo blog. Está muito bom. (Bom mesmo, de verdade, sem sacanagem).

abraço forte

Escritor Sacolinha disse...

Ah é né?
Bem que eu vi que você estava exagerando na crítica do meu livro.
Fi duma mãe.