terça-feira, agosto 26, 2008

VENTOS DA MUDANÇA

salve, povo. novidades à vista. e a prazo também.

quem acompanha o blog há algum tempo sabe da minha maratona pela Educação Pública. mais especificamente a minha escola, que é onde eu acredito que posso intervir não apenas mais rapidamente, mas de maneira mais prática e transformadora.

além das minhas aulas, há dois anos que realizo trabalhos paralelos, como os projetos do jornal e o literatura (é) possível. projetos que me trazem muita alegria principalmente pelo apoio e reconhecimento dos alunos na escola.

este ano os projetos até ficaram um pouco de lado pois desde que eu estou na escola - há três anos - temos problemas na questão organizacional e administrativa que, no meu entender, não davam mais para serem adiados. eu não conseguia mais fazer a linha diplomática: conversar, pedir, quase implorar, para que pessoas trabalhassem, cumprissem o seu horário, agissem de maneira profissional. pois bem, fui para o choque, o confronto.

não é uma opção sadia. os meus ombros que o digam. tudo o que aconteceu na escola nos últimos tempos foi muito desgastante, exigiu uma disposição física, mental e psicológica que nem sei se eu tenho e, durante algum tempo, tive a nítida impressão de que nada havia valido a pena. apesar de todo enfrentamento, pouco havia mudado.

mas estava com a consciência tranquila, sabendo que fiz o melhor não apenas para mim, mas para a escola. com exceção dos ombros, colocava a cabeça sossegada no travesseiro.

entretanto, ontem os ventos da mudança sopraram mais forte. transformações aconteceram na escola. a minha diretora foi afastada.

acredito que esta é a atitude mais sensata - e demorada - tomada pela diretoria de ensino tendo em vista todas as denúncias e problemas que a mesma já possui conhecimento há mais de dois anos. garante não apenas a idoneidade da investigação mas, que as partes do processo (alunos e professores) não sejam afetados pela pessoa investigada.

algumas pessoas da escola me ligaram - quase que soltando rojões - para comentar a novidade. fiquei feliz, sim, com a saída da referida pessoa. acredito que não fazia um bom trabalho, mas não acho motivo para comemorar. não enquanto não souber quem virá e se esta, quando chegar, terá compromisso com a Educação, com respeito ao profissionalismo, aos alunos e colegas. enquanto não tiver a certeza que esta pessoa veio para trabalhar, cobrar, exigir, celebrar as mudanças na escola, o aprendizado dos alunos, etc.

que fique claro, ao contrário de vários outros professores: meu problema com a direção não foi pessoal, foi profissional. para mim não importa quem está lá em cima, se "eu gosto ou não". a única coisa que importa é que me respeite, respeite os meus alunos e faça um bom trabalho, acima de tudo com ética, seriedade e compromisso com a verdade.

que os ventos da mudança cheguem, e que possamos comemorar as boas-novas.

rodrigo

Um comentário:

Branca Alves de Lima disse...

Entendo que você não queira comemorar, mas que é uma ótima notícia, não tenho dúvidas.
É bom, de vez em quando, sentir a justiça sendo aplicada.

Coloque no nosso blog a boa nova!

Parabéns pela coragem!