sábado, agosto 16, 2008

RICO GOSTA DE ESCOLA PÚBLICA, SIM


Rico gosta de escola pública, sim. Principalmente se for Engenheiro, Empreiteiro, grande escritório na Berrini ou no Centro. Concorrer a licitações, apresentar o valor mais baixo e prestar o pior serviço. Anotar vinte telhas quando se trocam cinco. Reformar doze salas quando se pintam duas. Modernizar toda a fiação elétrica colocando só o cano de proteção por cima, para proteger em caso de curto-circuito totalmente previsível. Rico gosta, sim.

Rico gosta de escola pública, sim. Principalmente se for dono de Editora. Sabe, aquela famosa? Aquela que vai despachar todos os livros infantis, didáticos, paradidáticos. Todo o lixo que estiver encalhado, será levado. Os governos são os principais compradores de livros. E não interessa se serão lidos. Se os livros serão encaixotados, fechados, trancados as sete chaves dentro de armários com medo de que sejam roubados. Não é problema do editor, ele é um bem-feitor. Já vendeu todo o seu estoque à Escola. Rico gosta de escola pública, sim.

Rico gosta de escola pública, sim. Principalmente se for Médico, Empresário, Advogado. Ele tem o profundo, o sincero desejo de transformar a Educação. Principalmente em época de eleição. Ele vai prometer mais escolas, menos alunos por sala, aumento para professores. E vai cumprir: investimento pesado na publicidade e propaganda. Uma mentira dita mil vezes se torna verdade, disse alguém. Pois bem, ele vai cumprir tudo. E você vai acreditar piamente.

Rico gosta de escola pública, sim. Principalmente se for Diretor. Vai deixar a sala de aula, vai deixar a sala de direção e ficar em casa. Ele precisa garantir o emprego. Do vice. Se o diretor trabalhar, o que vai sobrar para os outros. O que vai sobrar para o professor? Diretor só precisa assinar ponto no fim do mês e pronto. Pra ele, serviço concluído.

Rico gosta de escola pública, sim. Principalmente se for professor. Tirar licença no serviço público, um, dois, dez meses ganhando na boa o salário enquanto rala no serviço privado. Professor ganha pouco, precisa de um outro emprego. E não se preocupe, ele volta no final do ano. Precisa receber o bônus, quem sabe não está na época de tirar licença-premium.

Quem não gosta de escola pública é trabalhador, o seu filho. Que não tem opção de matricula no colégio particular. Não tem o que fazer quando o filho for pra escola e não ter professor para estudar. Cadeira pra sentar. Quando o filho ficar cinco, seis, sete anos na escola e não aprender a ler e escrever. Ele não vai entender. Não vai entender como que o rico gosta tanto da escola pública, sim, ganha tanta grana em cima mas não matricula o seu filho ali. Ah, isso com certeza ele não vai entender. Nada é tão simples assim, sim?

3 comentários:

cremilda estella teixeira disse...

Gostei muito, recebí uma cópia da Fatima Rotta
Posso copiar e colocar no meu blog, dando é claro o crédito para a fonte?
http://cremilda.blig.ig.com.br

r.c. disse...

Olá, Cremilda.
Fique à vontade. Os textos são para ser divulgados.
Abraço

Glória disse...

Olá, Rodrigo, gostei imensamente do seu blog. Que maravilha encontrar alguém pensando a educação de verdade, ainda mais sendo professor. Abraços. (Ah, cloquei seu link no meu outro blog: http://gloria.reis.blog.uol.com.br/)