quinta-feira, maio 15, 2008

TÁ NA HORA DO PAU!

"Porque o guerreiro de fé nunca gela, não agrada o injusto e não amarela..." (Mano Brown, Racionais)

Acho que era no Public Enemy que havia um dos integrantes que andava sempre com um relógio gigante pendurado no pescoço. Quando alguém perguntava para que servia aquele relógio, ele respondia:

- É para ver a hora na hora que a bomba estourar.

Eu tô assim. Com o meu relógio, pequeno, no pulso esquerdo mas, atento. Só observando a hora que a bomba vai estourar. Porque está perto, muito perto.

A situação na escola que trabalho chegou ao IN-SUS-TEN-TÁ-VEL! Isso mesmo, está quase impossível trabalhar lá. Eu cheguei ao ponto de, todos os dias, ficar sentado na beirada na cama, pedindo para o cara lá de cima me mandar boas vibrações, energias, pra suportar a batalha diária. Porque tá foda.

E tudo se resume a uma questão nada simples: a Direção da minha Unidade Escolar. Não bastasse os problemas de infra-estrutura com uma escola recém-reformada, aos frangalhos, nossa direção é ausente. E incompetente. Talvez uma coisa tenha relação com a outra. Talvez não, agora tenho certeza. Antes não ficava tão claro porque, preocupados com o nosso pedagógico, preocupados com a nossa aula, não acompanhávamos tão a fundo as questões administrativas e organizacionais da escola. Isso está mudando. Lentamente mudando. E estamos vendo muita, muita coisa errada.

Não cabe falar tudo aqui mas, vejamos algumas coisas:

- A minha escola está uma SUJEIRA só. Nojenta. Pátio sujo, lixos lotados. Mesa dos professores, mesa dos alunos suja, melada. E não apenas porque não temos funcionários suficientes, por que os alunos não colaboram. Não, falta tudo: falta saco de lixo, falta produtos de limpeza, falta detergente pra lavar os pratos da merenda. Falta, falta, falta. E não sabemos porque falta já que, ao que consta, a escola recebe verba para isso.

- Há um mês, os professores e alunos não sabem o que é ter papel no banheiro. Isso mesmo, papel. Seja para secar as mãos e o rosto, seja para limpar o cu. Desculpe o perdão da palavra, mas tenho que ser o mais claro possível. Porque alguém na escola esquece que as pessoas que ocupam aquele espaço são seres humanos. Que comem, bebem. E por isso, mijam, defecam. Mas não há uma folha sequer de papel higiênico para higiene pessoal. Uma violência. Um desrespeito.

- Já não sei mais há quanto tempo não temos giz na sala dos professores. Imagine, uma escola, sem sala de aula, sem lousa e, sem giz. Não temos GIZ na escola. Chegamos a este absurdo. Temos que contar com a solidariedade de colegas que emprestam, fazem um escambo de giz ou malabarismos com os toquinhos encontrados perdidos nas caixinhas. Veja se é possível?

Sim, é possível.

Se não bastasse, muitos alunos estão fazendo o que querem. Sim, fazem o que querem na escola. E não sei o que todos acham mas, pessoas sem limites, adolescentes e crianças, sem limites é um perigo. Para eles próprios, e para os outros. Resultado: alunos circulando pelos corredores em horário de aula, alunos que toda hora batem na sua porta, interrompem a sua aula, alunos fumando no banheiro - cigarros e maconha -, alunos usando espaços ociosos da escola pra fazer "motelzinho", alunos... Virou uma bagunça, generalizada. Os alunos fazem o que querem. E os inspetores perderam o controle. Os professores estão perdendo o controle. Não estão conseguindo trabalhar o pedagógico, discutir conteúdo, dar aulas. A Coordenação não coordena. E a Direção?

A Direção não vai na escola. Não é de hoje, é de sempre. Veja por exemplo, esta semana:

SEGUNDA: não apareceu ninguém na Direção da Escola
TERÇA: A Diretora chegou as 11hs e as 14hs foi embora
QUARTA: não apareceu ninguém da Direção na Escola
QUINTA (hoje): A Direção chegou as 11:20hs e saiu as... 11:35hs. Sem mentiras, sem brincadeiras. Quinze minutos na escola! E foi embora. Vapt-Vupt.

Agora, pega o livro-ponto...

Aliás, eu descobri que esta mesma Diretora, pasmem, deveria trabalhar como um trabalhador qualquer: de Segunda à Sexta, das 08 as 17hs. 40 horas semanais. Um absurdo. Uma mentira. Como já disse, se ela trabalha 20 horas por semana, é muito. E hoje eu fiquei ainda mais chocado. Eu descobri que ela não apenas SÓ assina o livro-ponto. Ela coloca o horário de trabalho:

Entrada: 08hs
Saída: 17hs


ISSO É UMA MENTIRA! NÃO HOUVE UM ÚNICO DIA, DOS QUASE TRÊS ANOS QUE ESTOU NESTA ESCOLA QUE EU VI ESTA DIRETORA CUMPRIR ESTE HORÁRIO.

REPITO: NÃO HOUVE UM ÚNICO DIA!

Resultado: a escola que temos.

Mas o grupo de professores está se organizando. Fizemos uma carta na qual está relatado todos os problemas acima mencionados, cobramos soluções, providências, inclusive na questão do esclarecimento do horário de trabalho desta referida pessoa. Mais de 20 professores já assinaram. Funcionários estão assinando. Amanhã iremos protocolar com a dita cuja. Isso se ela aparecer. E se aparecer, VAI TER PAU!

Estou cansado da fanfarra dos serviços públicos. Da sacanagem com o serviço público. Da sacanagem com o público que é atendido pelo serviço público: trabalhadores, geralmente de baixa-renda, da periferia. Está na hora destes sacanas pagarem pelas coisas erradas que fazem. Está na hora de alguém ser responsabilizado pelas cagadas que fazem. Por destruírem gerações. Por acabar com uma escola. Por - quase - acabar com um sonho que é ser Professor.

Se alguém tiver alguma sugestão objetiva e concreta de como resolver esta situação, além do que ja estamos fazendo, eu aceito.

ALÔ, ALÔ, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, ESTÁ ME OUVINDO???

Direto do Front,

Rodrigo Ciríaco

Um comentário:

Branca Alves de Lima disse...

Imprensa você já procurou? Em ano eleitoral (prefeituro e vereadores), a educação é um tema chave, mesmo sendo uma escola estadual.
Os pais de alunos devem ser esclarecidos de tudo o que está acontecendo para ficarem do lado de vocês.
Boa sorte e conte com o que precisar! O problema é de todos nós mesmo.