quarta-feira, maio 28, 2008

mais pitangas espremidas

hoje é dia 28 de maio. 12 dias se passaram desde que eu e uma grande parte dos professores da escola protocolamos um documento junto a nossa diretora, uma relação de queixas: que não tínhamos condições de trabalho, o ambiente estava demais de sujo, não havia nem papel higiênico nos banheiros. não havia sequer giz. que os alunos estavam fazendo o que bem queriam. que ficavam circulando a vontade pelos corredores. que fumavam no banheiro. que ficavam em salas abandonadas - e abertas - fazendo o que não deviam. que atrapalhavam as aulas daqueles que queriam assistir as aulas.

12 dias se passaram. nada foi feito.

o banheiro ainda não tem papel. nem pra uma caganeira sequer. giz, de vez em quando. a escola continua suja, imunda. o mato crescendo, invadindo as salas. e os alunos. estão igual a direção da escola: nem aí. fazendo o que bem entendem.

choro tanto as pitangas aqui neste blog porque, já não sei mais o que fazer. estou desolado, abandonado. não sozinho. alguns companheiros sofrem juntos. poucos. mas também sofrem. porque o que queremos apenas é trabalhar. e ter condições de trabalho. mas está difícil, muito difícil.

hoje foi um dia bem complicado. estava fazendo uma atividade com os alunos - elaborando um telejornal, umas loucuras que criamos por lá, apesar de tudo. trabalho de pesquisa, produção de texto, discussões. tudo muito legal. hoje faríamos as gravações. precisaríamos de silêncio. dentro da sala, ok. não se ouvia nem a respiração dos alunos, tamanho interesse. já do lado de fora...

e a zona lá de fora interferia dentro da sala. precisávamos de silêncio. fui pedir uma vez. fui pedir duas. fui pedir três, para os alunos manerarem. não adiantou. apelei. fiz o que não gosto de fazer: bati boca com aluno. e o pior: fora de sala. nem eram meus alunos. lá dentro da minha sala estava tudo ok.

mas não havia ninguém da direção para cuidar da situação. a pessoa que fica por lá, conhecida vagamente como vice-diretora, não tem voz ativa. os alunos não a respeitam. e ninguém consegue colocar o mínimo de disciplina e organização na escola.

resultado: alunos frustrados, professor frustrado, aprendizado pedagógico prejudicado. trabalho não concluido.

e assim vamos indo. e já fiz reclamação verbal, e já fiz reclamação por escrito. e a diretoria de ensino sabe, e pessoas ligadas a educação sabe mas, nada acontece. nada acontece. putaquepariu, até quando nada acontece?

eu to cansando. pior, tô sentindo no corpo, na alma, que estou ficando doente. porque não basta coragem, determinação. é preciso saúde. e meu corpo está falhando. a cabeça está falhando. por mais que o coração queira, estou ficando mal. falhando. até as máquinas falham. e eu não sou máquina.

alguém tem alguma solução concreta para resolver isso?

olá, Terra? tem alguém me ouvindo?

que merda, não tem jeito. já perguntei isto outras vezes mas, ninguém responde.

bom, direto do planeta Terra, Rodrigo - desligo.

Um comentário:

Raquel Almeida disse...

TRISTE REAÇIDADE DAS NOSSAS ESCOLAS...FIQUEI SEMANA PASSADA FIQUEI SABENDO QUE UMA ESCOLA AQUI NO BAIRRO RECEBEU UMA VERBA VIOLENTA...EO PROPLEMA NÃO É ESSE...É QUE ELES NÃO INVESTIRAM EM NADA NA ESCOLA...QND CHOVE A ESCOLA CONTINUA INUNDANDO,QUERIA MUITO SABER OQ UE FOI FEITO COM A GRANA!(O QUE SERÁ NÉ)...O QUE ME DEIXA MAIS TRISTE É QUE ESSE ANO VAI RECEBER OUTRA VERBA, MAIS VIOLENTA AINDA...
QUE PENA...