quinta-feira, maio 17, 2007

EDUCAÇÃO PÚBLICA GRATUITA E DE QUALIDADE

foto: Caio Guatelli / Folha Imagem

Enquanto no Plano Federal se discute a normatização e/ou o Direito de Greve (ou não!) dos Servidores Públicos Municipais, Estaduais e Federais, a Universidade de São Paulo/USP está paralizada, mais uma vez, com a GREVE DOS ESTUDANTES - agora com apoio dos funcionários.
Entre as reivindicações, estão: (1) Contra os vetos do aumento do repasse de verbas para a Educação Pública; (2) Contra os decretos que atacam o direito da Autonomia Universitária; (3) Democratização da Universidade; (4) Contratação de Professores; entre outros.
Acredito que são reivindicações legítimas dos estudantes que, há anos, vem lutando contra a política do PSDB de sucateamento do Ensino Público, em todos os níveis: Básico, Fundamental, Médio e Superior. Estou há quase vinte anos(!) dentro do ensino público estadual, ora como aluno - a maior parte do tempo -, e agora, como professor. Como estudante, sofri muito pela má qualidade de ensino das escolas públicas, e só consegui entrar na Universidade depois de sete meses em um cursinho pago. Como professor, estou conhecendo um pouco melhor da "máquina educacional" do Estado/PSDB e tenho uma certeza: mudanças profundas são necessárias.
Em 2003, quando era estudante de História na FFLCH - Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, tivemos uma Greve dos Estudantes que durou mais de cem dias. O motivo principal: contratação de professores. Na época faltava docentes para várias disciplinas, estudávamos em salas de aula com mais de 100, 120 alunos, ficando muitas vezes nos corredores pois não tinhamos espaço dentro das salas - prejuízo total na aprendizagem! Neste período, a Reitoria queria contratar 11 professores para toda a FFLCH. Os estudantes se mobilizaram, resistiram e, depois de muita luta, conseguimos a contratação de mais de 200 professores para toda a Universidade. Só a Faculdade de História recebeu 17 docentes, o que aliviou um pouco o sucateamento do curso.
Mas, infelizmente este é um problema que ainda persiste. Assim como esta política Educacional Criminosa do PSDB.
Bem, toda solidariedade aos Estudantes da USP neste momento!

EDUCAÇÃO NÃO É MERCADORIA!

Acompanhe e saiba mais informações nos sítios:

http://ocupacaousp.blog.terra.com.br/
http://www.midiaindependente.org/

Rodrigo

2 comentários:

Renata disse...

Rô, a greve foi em 2002, e não em 2003.
beijos da mala.

rodrigo ciríaco disse...

xiiii malinha, dei bola fora entonces...
valeu. beijão