terça-feira, agosto 04, 2009

IDÉIA FIXA - MINI-CONTO*

Era mais do que obsessão. Era loucura. Pensava, pensava e pensava. Passando batom, tomando banho. Até na hora do sexo. A voz estridente não a abandonava.

Já subia pelas paredes de seu pequeno apartamento. Pela rua, andava em círculos. No trabalho, sozinha, conversava. As pessoas comentavam pelos cantos. Alguns amigos passaram a não retornar suas ligações. O namorado há cinco dias não comparecia. Decidiu procurar um médico.

Atencioso, ouviu tudo sem dizer uma palavra. Prescreveu um tarja-preta. Ela esbravejou. Queria ser examinada. Não suportava mais aquela idéia fixa na cabeça. O doutor decidiu não contrariá-la. Examinou os olhos, auscultou o peito. Olhou dentro do ouvido. Não acreditou. Olhou de novo. Pegou uma pinça, enfiou com cuidado e puxou. A varejeira ainda estava viva.





*texto meu publicado em MOSCAS (antologia de mini-contos), org. Marcelino Freire, Edições Dulcinéia Catadora, novembro de 2007

2 comentários:

Tiago Miçanga (o Berro d'água) disse...

seu livro ta foda cara, parabéns

r.c. disse...

valeu, tiago. satisfação.