domingo, abril 06, 2008

Com Respeito,

à TODAS, TODAS as mães que choram por seus filhos e filhas


Nos olhos vendados
Na balança da Justiça
Não existe discriminação
Social, Racial

Todo mundo tem
Direito à Vida
Todo mundo tem
Direito Igual

Mas a notícia semanal
Que me chega pela revista
Desmente-se o dito
Mostra-se o real

O pretinho no morro
É mera estatística
A menina do prédio
É capa de jornal

Todo mundo tem
Direito à Vida
Todo mundo tem
Direito Igual

Afirmo tal verdade
Entre amigos e família
E sou escurraçado
Como fosse um animal

- Você só defende bandido
Direitos humanos, injustiça
e os direitos das vítimas
e os direitos do policial?

Todo mundo tem
Direito à Vida
Todo mundo tem
Direito Igual

Concordo com a questão
Posta e discutida
E reafirmo minhas idéias
Reafirmo meu Ideal

Não se trata de dizer
Que o pobre é sempre vítima
Não se trata de dizer
Que o rico é sempre mau

Se trata de afirmar
Uma constatação dolorida
De que no Brasil
Pobreza e desigualdade
É uma Violência real

Se trata de afirmar
Uma verdade ainda não dita
Que causa revolta
E males para o povo
em Geral

Nem todo mundo tem
Direito à Vida
Nem todo mundo tem
Direito Igual

5 comentários:

Anônimo disse...

isso memo Rodrigo, é isso memo ...

Michel

rodrigo ciríaco disse...

salve michel, valeu.
abraço

Lira. disse...

aí, rodrigo...
ducaralho.

(quando é que a gente senta pra trocar umas idéias?)

força na luta.

Luiz Carioca disse...

perfeito. me identifiquei demais com o poema. a usp mostrou uma estatística q diz q 500 crianças morreram nos ultimos 7 anos de violência doméstica. é preciso cair uma no prédio pra população prestar atenção. as que caem do morro ninguém vê.
abs
Luiz

rodrigo ciríaco disse...

e o foda é usar, além do sensacionalismo da notícia - que não ajuda em nada nas investigações - o caso para alavancar audiência e depois entrar um apresentador de produtos para emagrecer, para engordar, para esticar, com um puta dum sorriso no rosto. consumo, consumo, consumo...