quinta-feira, setembro 06, 2007

conto - PRESTANDO CONTAS

-Oi.
-Hum.
-Precisamos conversar.
-Fala.
-Quero umas férias.
-De novo?
-É.
-Mas você voltou faz dois meses.
-Eu sei, eu sei. Mas é que, você sabe: cobrança, reclamações. A pressão. Não tô dando conta. Eu até pensei em pedir rescisão mas, eu sei que vai fazer falta, eu me arrependo. Depois não dá pra voltar atrás.
-É, não dá mesmo.
-Então, me dá umas férias?
-Quanto tempo?
-Três meses.
-Três meses?
-É. Você não sabia que no serviço público depois de cinco anos de serviço você tem direito a uma licença premium de três meses? Isso se você não tiver nenhuma falta.
-Aqui não é serviço público.
-É. Mas eu já estive em falta alguma vez?
-Preciso responder?
-Não.
-Tudo bem. Três meses. Só que é o seguinte: dessa vez eu vou contratar uma pessoa pro seu lugar.
-Como assim?
-Simples, alguém vai te substituir nesse período. Ou você acha que eu tenho que me virar sozinha?
-Hum, não sei.
-Não se preocupe. Será uma mulher.
-Mulher?
-É. Uma senhora. Já tenho todos os atributos: dedicada, prestativa. Experiente.
-Não tô gostando.
-Não é uma questão de gostar. Você quer suas férias não quer? Então, tudo bem. Eu dou. Mas eu quero alguém para substituí-lo. Pronto e acabou. Eu tenho esse direito, tenho o meu dinheiro e não dependo de você.
-Tá bom, tá bom. Mas por quanto tempo?
-Só até você voltar. Aí eu dispenso.
-Hum, tudo bem.
-E você, vai pra onde?
-Não interessa.
-Como assim? Isso é jeito de falar comigo?
-Ué, já viu algum funcionário dar satisfação de onde vai passar suas férias pro patrão? Não digo. Não interessa.
-Olha, se você aparecer aqui de novo com marca de batom no colarinho ou o telefone de alguma vagabunda no bolso. Ai, nem precisa entrar. É justa causa.
-É. Boas aquelas férias.
-Pra quem?
-Ninguém. Não disse nada. Eu começo quando?
-Hoje.
-Não, tá louca? Amanhã. Agora são onze e meia da noite. Você acha que eu vou perder um dia.
-Não quero saber, tá valendo a partir de hoje.
-Mas querida?
-Cala boca Roberval. E vê se dorme. Começa hoje. Depois da meia noite. Já serão dois meses e vinte e nove dias.
-Ai saco...
-O quê?
-Nada.
-Boa noite.
-Boa noite.


-Benhê?
-Oi?
-Não vai me dar um beijinho?
-Ah, hum.
-Me encoxa?
-Dez real.
-Roberval!
-Tá bom, tá bom.

Um comentário:

WILSON E RENATO VITAL A CORRENTE FORTE DO GUETO disse...

carai mais de mil acessos também é nóis.