quinta-feira, fevereiro 01, 2007

REDUÇÃO - Programa Escola da Família


O Governo do Estado de São Paulo (José Serra/PSDB), através da Secretaria de Educação (Maria Lucia Marcondes Carvalho Vasconcelos), ARBITRARIAMENTE resolveu reduzir as escolas participantes do programa Escola da Família, a partir deste ano de 2007.

Para quem não sabe, o Programa Escola da Família surgiu há aproximadamente 03 anos, depois que a prefeitura municipal (Gestão Marta Suplicy) lançou os CEUs (Centros Educacionais Unificados). No programa Escola da Família a escola fica aberta aos finais de semana e são oferecidos diversos cursos, oficinas e outras atividades para a comunidade (além de outros programas que são integrados). Nas periferias onde a falta de equipamentos públicos de educação, cultura e lazer são gritantes, o programa parcialmente cobria esta imensa demanda.

Pois bem, “levando-se em consideração dados comprovados de vulnerabilidade social e juvenil e critérios censitários”, a Secretaria de Educação, SEM CONSULTAR AS COMUNIDADES, cancelou os programas nas escolas.

Na diretoria na qual leciono, a LESTE 1, aproximadamente 60 escolas serão canceladas do programa!

Este programa não é a solução dos problemas da educação, da violência, etc. mas, era algo de bom que existia nas comunidades: A ESCOLA COM OS PORTÕES ABERTOS NOS FINAIS DE SEMANA. Porque quando eu era moleque, eu cansei de pular muro da escola (estadual Irene Branco da Silva, onde estudava) para ter uma quadra decente pra jogar bola, e muitas vezes tive que sair de volta, pulando o mesmo muro, correndo, dos cachorros, da polícia que era acionada ou do caseiro que aparecia armado com um 38 pra expulsar a gente, us bandido. Absurdo!

A ESCOLA ABERTA NOS FINAIS DE SEMANA FOI UMA CONQUISTA PARA AS COMUNIDADES, PRINCIPALMENTE NAS PERIFERIAS. Muitos pais agradeciam a escola aberta pois o filho deixava de ficar na rua ou no bar, nem sempre pensando e fazendo coisas muito boas. É, talvez o Estado pense que a escola fechada seja melhor para
tod@s.

E a sua comunidade, está sabendo disso? Como funcionava o programa na sua quebrada? Vai fazer falta? O que vamos fazer?

No caso da minha escola, tão logo comece as aulas eu conversarei com pais, alunos e membros da comunidade para pensar se é do interesse da comunidade que o programa permaneça e, se for, vamos pras cabeças! Se o programa for importante na sua região (não importa qual quebrada) e quiser somar nesta luta, escreve aí:
rodrigociriaco@yahoo.com.br Vamos trocar umas idéias porque é unido que a gente se fortalece.

Mais informações sobre as “razões de/o Estado” para reduzir o programa, consulte:
http://www.escoladafamilia.sp.gov.br/noticias/2007_01_12.html

Rodrigo Ciríaco

Um comentário:

Maria Adriana de Oliveira disse...

Na escola em que me encontrava quando foram cortadas.....só existia esta escola no bairro, trata-se de uma escola em um bairro de zona rural...chamado bairro do caju, localizado na cidade de Leme interior de são paulo....as crianças perderam o unico entretenimento em que as mesmas possuiam naquela cidade..imaginem que era a escola lider de presença por 2 ano seguidos...imaginem se não fosse...sinto muito, mas muito mesma, mas pelas crianças que ali passavam até o dia inteiro...sem nem querer ir a suas casas até mesma para se alimentarem, de tanto que gostavam de permanecerem ali...parece até que tinham medo de ir para suas casa e a escola fechar....fato que aconteceu!!! foi em dezembro, quando fechou suas portas para as merecidas ferias de seus universitários...e quando era hora de voltou...as portas continuaram fechadas....será que as crianças que não queriam sair dali não tinham razão?.