quarta-feira, novembro 29, 2006

P O E S I A !

Nossa, que loucura por esses dias!
Desde sábado a tarde uma chuva que não pára. Desde domingo de manhã eu trabalho direto, quase que sem parar, corrigindo prova, trabalho, redação, dando nota, pensando, aprovando, deixando de recuperação. Desde segunda pensando sobre o sarau da escola, os fios, os livros, os poemas, o som, o microfone, os cds... Argh!
Juro que quase que enlouqueci. Ou já estou louco e só não me dei conta. Mas tá foda!
A exaustão foi tamanha que hoje não tive condições de ir na COOPERIFA. Vaz, Canto, Dinha, e tod@s os demais, me desculpem. Não aguentei. E justo hoje na comemoração do Hutúz. Fazer o quê? Minha alma está aí com vocês, enquanto escrevo estas parcas linhas.
Tamanha correria se justifica pelo final de ano. Fecha nota de Bimestre, fecha nota de ano, calcula nota, prova, faz pré-conselho, conselho de classe, aprova e reprova (que droga!) aluno.
Fora isso, me meti em fazer um sarau em uma das escolas que dou aula. Foi como um prêmio, um presente para os alunos para fecharmos muito bem o ano. Foi muito bom, mais de vinte alunos recitaram poemas, outros apresentaram uma peça, "Ora, um carrinho!", escrita, dirigida e ensaiada pelos próprios alunos; veio um pessoal do GTO (Grupo de Teatro do Oprimido) de Sto. André apresentar uma peça "Relatos de Origem" que fala sobre a questão do racismo na escola e, pra fechar (não deu nem tempo...), um grupo de alunos ia apresentar o seu grupo de samba. Aí já tínhamos estourado a hora. Mas, tudo tranquilo.
O melhor de organizar eventos deste tipo é a hora em que ele acaba. Putz, que alívio.
Alívio maior foi ter as minhas preces atendidas por São Pedro. Desde sábado que todos os finais de tarde chove. Foi assim sábado, domingo, segunda e... Hoje! Milagrosamente ontem, terça feira não choveu! Pelo menos ali na Vila Cisper. Ameaçou mas não foi. Não acreditei. E foi ótimo, pois quando chove em minha escola, tem muitos pontos de alagamento. Se chovesse, o Sarau talvez fosse pro beleléu...
Deu tudo certo, como não podia ser.
Tirando o cansaço extremo, a tristeza por alguns alunos que serão retidos, o desânimo de meus colegas professores (que as vezes me contagiam... Sai zica!) e um projeto que tenho que entregar até sexta e vou passar a noite escrevendo, estou bem. Satisfeito, um pouco feliz.
Saudações vida!

rodrigo ciríaco

Um comentário:

Escritor Sacolinha disse...

É rapaz, quem mandou, além de poeta e fanzineiro, ser professor?